terça-feira, 24 de janeiro de 2017

[Conversando com Rafa # 3] Sob a luz dos seus olhos, de Chris Melo | Editora Rocco


"Seis anos deixaram de existir. As lembranças que surgiam aos poucos agora me assolam de tão rápidas. Escuto a voz dele me chamando de Lisa, carregando bem no som do S por causa do sotaque tão bonito. A voz vibrante, forte, quase vigorosa demais para um mortal. A palavra 'saudades' escrita em português, o jeito que ele me forçava a conversar depois de muito silêncio dizendo apenas 'fale comigo'. Ele sabe que ainda não existe a menor possibilidade de eu conseguir esconder alguma coisa depois de ouvir isso, principalmente porque essa frase sempre vinha acompanhada de um olhar que dizia 'confie em mim'".

Estou parada com o tablet na mão, com a ultima página do livro Sob a luz dos seus olhos, da autora Chris Melo. Estou sem palavras e as lágrimas insistem em cair. Isso não é normal para mim, pois nem sempre me emociono. Poderia dizer tudo sobre esse livro mas, ao mesmo tempo, não consigo descrevê-lo. Estou tentando encontrar palavras que transmitam a emoção e a história linda que esse livro possui.

O livro nos apresenta Elisa, uma jovem editora bem sucedida que mora em São Paulo, e que leva uma vida pacata, bem regrada, onde não há espaço para amores e sentimentos do gênero, apenas uma ficada daqui e dali, nada mais que isso. Até que ela tenta sentir algo a mais por seu vizinho Cadu, mas sempre sem sucesso. O que não sabemos é o que levou uma jovem de 29 anos ser tão fria em relação ao amor.

Quando Elisa tinha 23 anos e era uma mera estagiária em Londres da mesma revista que atualmente trabalha, ela encontrou inesperadamente o cara dos seus sonhos, lindo, louro e forte, um príncipe encantado. Com ele, viveu noite incríveis, sensações desconhecidas, e claro, um amor sem tamanho, um amor tão grande e intenso que ela sentia que iria explodir de felicidade. O nome desse príncipe encantado era Paul, um jovem aspirante a ator, boêmio, e que nunca levava nada a sério, até que conheceu Elisa e seu mundo virou completamente.

A vida real é dura, assim como nos livros, dura e cruel. Em meio a felicidade, arco-íris e fogos de artificio que se resumia o amor dos dois, uma desgraça se abateu sobre Elisa, que descobriu que estava com Leucemia, e optou por deixar Paul e voltar ao seu país e fazer um tratamento. Não contou a Paul sobre a doença, e ele se sentiu magoado e terminou o relacionamento.

Seis anos depois, Paul surge como um fantasma e abala sua vida regrada e fria, e então o livro começa, e surgem várias aventuras e momentos românticos.

Eu, particularmente, não penso muito em como seria o homem ideal, nem em casamento e muito menos filhos, talvez por eu ser independente demais e querer sempre alcançar algo maior. Nunca vivi um conto de fadas, meu namoro começou de forma tradicional e seguimos tradicionais, sem muita aventura ou situações loucas. Quando leio um livro assim, me imagino no lugar do personagem e sinceramente, me bateu uma tristeza, e senti o que Elisa sentiu, e foi como meu coração tivesse sido esmagado e alguém tivesse pisando nele.

Mas também retirei uma lição valiosa (como sempre, procuro alguma moral ou lição nos livros que leio): o amor é muito mais que estar com uma pessoa, ou simplesmente abraçar e beijar; o amor é o que move uma relação, é um sentimento que nos faz ultrapassar limites, sejam eles emocionais ou físicos, como quando alguém que amamos está passando por uma situação ruim e retiramos forças que nem sabemos de onde vêm, e vamos atrás, apoiamos a pessoa amada, e, na maioria das vezes, juntos conseguimos resolver nossos problemas.

É também amor conversar sobre besteiras e anseios, é dividir experiências e criar novas, é acordar todos os dias e saber que existe alguém que se importa com você e que não está nem aí para seus defeitos, se seu corpo é ou não é perfeito, e que sabe de cor o que você gosta, e que vê o melhor em você, mesmo que outras pessoas insistam que você é estranho ou cheio de defeitos horríveis.

Amar é também brigar e no fim do dia se reconciliar, sentir ciúmes, e saber que quando você chegar de uma viagem ou do trabalho haverá alguém ansioso pela sua chegada, e querendo sua companhia.

Se você tem alguém do seu lado, valorize, pois amanhã ele pode não estar mais ao seu lado. É triste, mas a vida não se importa se você está feliz ou não, ela tira com a mesma rapidez com que deu. Diga então que ama, cutuque, brinque, saia e viva com essa pessoa momento incríveis.

Bom, o livro da Chris é maravilhoso, uma verdadeira lição de vida, e sempre vou lê-lo, para me lembrar que o amor existe, e que basta procurá-lo dentro de nós mesmos.

Essa foi a opinião de hoje, simples, mas sincera.

Atenciosamente,
Rafa Vieira 


Chris Melo | Editora Rocco

Considerada a “Nicholas Sparks de saia” pelos fãs, Chris Melo estreia na Rocco com um envolvente romance sobre o poder extraordinário do amor. A trama conta a história de Elisa, que embarca para a Inglaterra decidida a começar sua vida adulta, levando na bagagem seus planos e sonhos para o futuro; e Paul, um artista tentando se encontrar e que vive intensamente cada momento. O que poderia ser apenas um encontro casual entre dois jovens tentando achar o seu lugar no mundo se transforma, pelas mãos da autora, numa profunda jornada de autoconhecimento, superação, perdão e recomeços. 

A autora Chris Melo exerce um encantamento com sua escrita dinâmica, prendendo a atenção com cada uma das idas e vindas da protagonista. Primeiro as leitoras retornam com Elisa à Inglaterra, para depois acompanharem, imersas em um sem fim de sentimentos, as decisões que ela precisará tomar para ficar ou não ao lado de Paul, seja em São Paulo, em Londres ou em Hollywood. Impossível largar o livro antes de saber o desfecho da história.
Be First to Post Comment !
Postar um comentário

Custom Post Signature