navegar pelo menu
julho 13, 2018


Construir castelos. Sonhar. Imaginar. Erguer castelos nem que sejam de areia.

E o post de hoje é dedicado ao lançamento de "Castelos de Areia - crônicas de uma jovem apaixonada”, o primeiro livro de crônicas da nossa amiga-autora pernambucana Rachel Motta <3 “Castelos de Areia" reúne aproximadamente 40 crônicas divididas em quatro capítulos. São textos sobre saudade, amor, paixão e despedida, escritas de uma forma singela que nos fazem lembrar uma dor que um dia já vivemos ou um amor tão intenso que não cabia dentro de nós.



Confira o release:

A escritora narra em seu livro histórias como o primeiro amor no início da adolescência. Iniciando com conto intitulado “Amor entre amigos” destaca um romance adolescente entre melhores amigos, que vivem um momento de muitas descobertas, saindo da infância e partindo para uma nova fase, com hormônios provocando mudanças e despertando desejos.   O material traz ainda contos e crônicas sobre amores à distância e traição.

As histórias também são narradas em forma de cartas e contos curtos. São momentos de uma garota jovem apaixonada e sonhadora que vive seus amores e dramas, contadas para que o leitor possa reviver sua primeira paixão, provocando lembranças deixando os sentimentos à flor da pele e peito apertado.


São crônicas curtas, mas suficientes para nos deixar sonhando com a continuação dessas histórias. A obra, que foi produzida de forma independente, foi construída num emaranhado de emoções. Histórias com uma narrativa contagiante, para ir do riso aos suspiros e depois às lágrimas, numa montanha russa de sentimentos. Tudo isso reunido numa sequência de crônicas irresistíveis, de escrita leve e envolvente, que nos introduz rapidamente a atmosfera do livro. Estejam preparados para sentir aquela sensação gostosa de coração quentinho que te faz emocionar a cada página.

"Sei que o tempo de deixar as emoções trancadas numa folha de papel qualquer já passou. Minha ideia é espalhar o amor", conta a Rachel Motta, que além de escritora é jornalista, autora do blog Histórias e Emoções, colunista nos blogs Vigor Frágil e Me Apaixonei. Vencedora (1º lugar) do concurso de Contos da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto), em 2007. A escritora também faz parte do time de sete mulheres escritoras que compõe a primeira edição da coletânea Entrelinhas. Lançado este ano pela Uny Editora através da junção de pensamentos, contos, crônicas produzidas por autoras de várias partes do Brasil.


Serviço:
 
Castelos de Areia – crônicas de uma jovem apaixonada
Rachel Motta
78 páginas
Preço: R$ 29,90 (à venda nas redes sociais do blog Histórias e Emoções) e o e-book R$ 4,90 na Amazon  
Gênero: Crônicas
Ano de publicação: 2018
Editora: publicação independente
Diagramação e concepção de capa: Carol Cappia
Apresentação: Grazielle Vieira (Blog Vigor Frágil) e R. M. Cordeiro
Preparação do original: Rachel Motta
Revisão textual: Rachel Motta


julho 11, 2018




Oi galera linda, tudo bom? Eu sou a Ramira, do ig @leiologoviajo, e hoje eu quero trazer para vocês a resenha desse livrão Procura-se um marido da Carina Rissi!

Alicia é neta de Narciso, um homem muito rico, íntegro e ótimo avó! Narciso cuida de Alicia como um verdadeiro pai (eu amei essa relação, simples, linda, cheia de cuidado, carinho e amor!). Alicia é uma jovem que curte muito a vida! Muitas viagens, baladas e vive aprontando!

Vô Narciso se vai (</3) e deixa um testamento bastante estranho e diferente: para que Alicia tomasse posse de toda sua herança, teria de se casar e permanecer no mínimo um ano casada (logo ela que queria era fugir de casamento!)

O testamento é mostrado a Alicia através de Clóvis, o advogado fiel de Narciso e que se torna também tutor de toda a fortuna de Alicia e passa a ter alguns comportamentos estranhos... 

Alicia resolve arrumar um marido de aluguel (olha isso! SOCORRO!) para poder assumir sua herança e sair da vida bem complicada que estava levando - principalmente porque Clóvis complicava bastante as coisas e não estava ajudando muito Alicia. 




Nessa de marido de aluguel, Alicia conhece Max que aceita se casar com ela. Max é um funcionário da empresa L&L cosméticos (uma das empresas do vô Narciso), que Alicia estava trabalhando (como ordenava o testamento de seu avô). Alicia não se dava muito bem com Max, e a relação entre eles dois é bem complicada até que certos sentimentos começam a surgir no coração de Alicia... será que Max sente a mesma coisa?

O final da história tem acontecimentos bombásticos e que me surpreenderam muito! Muita emoção, aflição, desespero!! Será que alguém estava planejando alguma coisa contra Alicia ou sua fortuna?
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Minha opinião sobre o livro: gente, não tinha como ter terminado melhor. O final não foi previsível para mim (NÃO MESMO!), o que eu achei ótimo porque me surpreendeu demais! Eu adorei o livro. A história flui muito bem, a narrativa é ótima, o crescimento dos personagens é maravilhoso (coisa super importante em uma história), o modo como a autora consegue desenvolver e dar seu lugar de destaque a cada um dos  personagens sem deixar a desejar! A gente torce por cada um deles! Sofre e fica feliz junto! Eu amei de verdade! Super recomendo!!!




Sinopse: Protagonista de Procura-se um marido, Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. A morte do querido familiar muda completamente o rumo da história criada pela autora Carina Rissi.  

Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. Era algo inimaginável para Alicia que, então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso: colocar um anúncio no jornal para encontrar um marido de aluguel. 

Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.
julho 09, 2018


Editora L&PM

Sinopse: María Hesse, artista gráfica espanhola, nos brinda aqui com uma lindíssima biografia ilustrada que apresenta, entretecidas, a vida e a obra de Frida Kahlo, incluindo trechos de seus diários, cartas e depoimentos. O livro revela as dores e as delícias de sua existência, mas também como usou a arte para vencer as limitações que as condições lhe impunham e reinventar o próprio existir. O resultado é uma obra poética, lapidar, que dá voz a uma das figuras mais interessantes do século XX.


Se você tá perdido no mundo da lua e ainda não sabe, Frida Kahlo foi uma das maiores pintoras que o mundo já conheceu. Sua pintura carrega muito do que ela foi, sofrimento, alegria e luta.

Nessa biografia ilustrada, María Hesse tenta nos mostrar de uma forma muito bonita a trajetória de Frida, mostrando sua vida e seu trabalho.
 

Eu que já conhecia a história da Frida de trás pra frente, fiquei encantada quando vi a capa desse livro no meio da livraria. Ela é uma das minhas maiores inspirações e sempre que eu vejo algo com a carinha dela tenho uma taquicardia.

Apesar de contar uma história que eu já conhecia, a experiência de ter e ler esse livro não foi nada repetitiva, pelo contrário, foi muito encantadora. As ilustrações que contam a vida da Frida são muito expressivas, cheias de cores e vivas. É tão bonito de olhar que você chega ao fim e quer voltar pro começo só pra apreciar mais um pouquinho.


Por fim, esse é um livro lindo pra quem gosta de apreciar ilustrações, ou simplesmente pra quem ainda não conhece a pintora, ou não conhece tão bem sua história. É um ótimo livrinho para aprender um pouco mais sobre ela, de forma rápida e leve, e se apaixonar pelo trabalho da ilustradora María Hesse.
 

Sobre a artista:  María Hesse (Huelva, 1982). Ela se tornou ilustradora com 6 anos, ela ainda não sabia disso, mas sua professora e sua mãe sabiam disso. Alguns bons anos depois, depois de terminar seus estudos em Educação Especial, ele pegou lápis e se jogou na piscina de ilustração de maneira profissional.María publicou vários editoriais como "Orgulho e Preconceito" para Alfaguara e "Frida Kahlo. Uma biografia "com Lumen.Além do trabalho editorial, o trabalho de Maria Hesse foi exposto em várias exposições e tem um trabalho pessoal onde a sensibilidade e as mulheres são as principais protagonistas.

Você pode acompanhar o trabalho dela pelo Instagram ou em seu site pessoal.

Espero que gostem da dica! :)

Um abraço e até a próxima!
Paloma
julho 06, 2018

Olá, Leitores! Como vocês estão? :) A dica de leitura de hoje é do nosso novo colunista Delduque Avelino (@delavelino). Del, como é chamado, é viciado em ler e vive compartilhando suas leituras e fotos com autores em seu instagram. Confiram a resenha de O tipo certo de garota errada, este emocionante lançamento da querida A. C. Meyer :)





Sinopse: Divertida e cheia de referências musicais, a nova história de amor de A.C. Meyer é a companhia perfeita para quem está vivenciando os primeiros desafios da vida adulta. Escolher uma profissão, ajustar a relação com a família, sair da casa dos pais, faculdade, descobrir talentos pessoais, aprender a se relacionar. Ufa! O início da vida adulta não é nada fácil. Principalmente se você não é exatamente aquele tipo certo de garota. Aquele que frequenta todas as aulas da faculdade que o pai escolheu e sabe o que quer. O orgulho do papai e da mamãe. Aquele tipo de garota com o cabelo perfeito e hábitos saudáveis. Malu não é nada disso. Por outro lado, ela vive plenamente, como se cada dia fosse o último, e nada parece abalar sua coragem e determinação. Em meio a um problemático relacionamento com os pais, ela começa a faculdade de Direito a contragosto e lá conhece Rafael. Rafa está terminando o curso e os dois se tornam inseparáveis. Mas é só amizade. Até outro sentimento começar a falar mais alto. Com a atração se tornando incontrolável Malu e Rafa se permitem viver uma relação sem compromissos: livre, mas ao mesmo tempo intensa e apaixonada. Até que o destino os coloca diante de uma armadilha cruel. Pode o amor ser mais forte que o medo de amar?




Resenha: A excelente A. C. Meyer conquistou meu coração de leitor com o incrível "Cadu e Mari", leitura aliás, que também recomendo. Primeiro que gosto muito de narrações alternadas - o que ela repete agora, neste novo livro - e ela escreve com a alma, os sentimentos em suas histórias chegam a ser palpáveis e nos fazem suspirar como se fosse com a gente mesmo, é o que acontece aqui em "O tipo certo de garota errada". 

A trama conta a história de Malu e Rafa, que de início são de mundos diferentes e até parece haver um abismo enorme, mas isso não impede que uma amizade sincera nasça entre eles. Com o tempo uma atração e envolvimento inevitavelmente vai acontecendo, entretanto ambos têm problemas de relacionamento e não acreditam nas coisas do coração. Aliás, eles parecem nem lembrar que dentro do peito, existe um coração. Malu é forte, cheia de vida e colorida, é uma mulher real. Inteligente, corajosa e linda a sua maneira, entretanto ela tem dificuldade de confiar, pois nunca teve pessoas se importando com ela. E um grande ponto sobre ela: Malu é diferente de qualquer protagonista feminina que você já leu em um romance. Já Rafa é focado, esforçado e sabe o que quer, o que nos faz sentir raiva dele em diversos momentos. Porém sabe também o que não quer, que é viver de aparências, fingindo uma felicidade que não existe, como acontece a sua volta. A relação entre eles é encantadora e cheia de situações tão reais. Desde as dúvidas sobre profissão, amadurecimento – e quanto a isso, preparem as lágrimas – e valor a vida. O ponto é que um é a melhor companhia e porto seguro que o outro pode ter. Eles sabem disso, mas digamos que não sabem como agir quanto a isso.

 


E autora ainda preenche as páginas com citações de Lulu Santos, Ana Carolina, Clarice Lispector, Drummond e John Green, não tem como não amar. Os personagens secundários também são ótimos - fiquei encantado demais pelo Gabriel. Clara é a prova viva do quanto amizade é necessário e faz bem. Longe de mim dar um spoiler do final, porém, o que é fundamental para Rafa e Malu se encontrarem é entender que toda relação precisa de confiança e que, cedo ou tarde, precisamos de alguém para encontrar um lar. Amar, de certa maneira, é preciso sempre. Mas que também tudo tem a hora certa de acontecer. E o mais importante é que Maria Luiza e Rafael sou eu, é você, somos todos nós. Em muitos capítulos vamos nos imaginar nas situações dos personagens e vamos nutrir diversos sentimentos. Enfim, é um livro que conquista pela capa, chama atenção pelo título, que dá felicidade de ler, de tão bem escrito que é, profundo e encantador pela linda história, história essa que ganha o coração e deixa a alma leve. 

Espero que todos leiam esse livro incrível e até a próxima! 

Xoxo,
Del
julho 04, 2018

Olá, Leitores! A dica de leitura de hoje foi especialmente selecionada pela Thaís Oliveira, uma de nossas novas colunistas aqui do Blog. A Thaís é fã de romances e YA e compartilha muitas leituras em sua página no Instagram. Confiram a resenha deste emocionante livro de Colleen Hoover :)



Olá, pessoal! Tudo bem?
Eu estou indo muito bem, principalmente por estar aqui com vocês no primeiro post para o Blog. Uma alegria imensa compartilhar minha leituras com vocês e já trago as impressões sobre um livro maravilhoso que, com certeza, já entrou para uma das melhores experiências de 2018. Foi um livro que me arrebatou. Uma leitura que me despedaçou, que me deixou doida. Um livro que virou favorito por tudo que me fez sentir; pelo muito que me emocionou.

É Assim Que Acaba - Colleen Hoover
Galera Record

Sinopse: Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless.

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Lily teve uma adolescência bem conturbada em família. Após alguns anos, vai para Boston querendo dar uma guinada na vida e, tentar, deixar os traumas para trás. Movida por sua paixão por flores, abre uma floricultura e conhece Ryle, o neurocirurgião gato, atraente e bem confiante. O convívio entre os dois só aumenta pois, sua funcionária, Allysa, é irmã de Ryle. Ironia do destino? Talvez... o que o destino aprontou com Lily está além do que podíamos imaginar. Tudo que tanto a machucou no passado, volta, talvez ainda mais dolorido que antes. O que parecia tão perfeito, aos poucos, vai caindo ladeira a baixo e fazendo com que Lily passe a viver momentos conflitantes e que nunca pensou que viveria. Aliás, jurou a si mesma que não deixaria que acontecesse com ela. Mas, aconteceu.



De uma forma nua e crua, CoHo desenvolve um enredo totalmente emocionante. Com a escrita perfeita como sempre, a autora nos leva por uma história linda ao mesmo tempo que sofrida. Personagens totalmente reais, com dilemas e problemas reais que nos provocam sentimentos contraditórios e enlouquecedores. CoHo nos deixa sem chão. Impossível não terminar a leitura totalmente emocionada e, como no meu caso, com muitas e muitas lágrimas derramadas.

Posso dizer, com toda certeza, que nunca chorei tanto lendo um livro. Chorei até a última linha dos Agradecimentos pois, até ali, CoHo consegue nos emocionar e não foi pouco, não. Sei que a história é linda, mas dói. Triste sim, mas encorajadora. Há traumas e superação. Uma leitura que emociona e que transforma. Que machuca, mas engrandece. Fica a mensagem que é possível recomeçar, mesmo que isso nos destrua por dentro. O importante é continuar a nadar, o que não significa aceitar o que não nos faz bem.


Um livro que TODOS deveriam ler.

Um tapa na cara de quem lê, uma identificação pra quem vive ou já viveu esse drama.

CoHo é uma das minhas autoras preferidas. Quando ela lança algo, eu fico muito ansiosa pra ler. Essa paixão não é somente pela escrita perfeita, fluida e envolvente, mas também por cada sentimento que ela consegue mexer. A cada história lida da Hoover é impossível ficar imune a todas as mensagens que ela passa e nisso, encantar-se por cada obra sua é inevitável. Amo de paixão e recomendo qualquer livro dessa autora incrível.

É isso, pessoal. Agora, é com vocês! Gostaria muito de saber se já tiveram oportunidade de ler É Assim Que Acaba e o que acharam. Já leram algum livro da (diva) Colleen Hoover? Contem aí! Vou adorar saber.

Até a próxima!
Bjo, Thaís



julho 03, 2018

Olá, Leitores! Tudo bem com vocês? A dica literária de hoje vem da Camila Coelho, uma de nossas novas colunistas. A Camila tem 21 anos, é formada em História e compartilha leituras no blog Livre Narrativa e também em sua página no Instagram. Para esta primeira postagem, o livro escolhido foi o A vida em espiral, de Abasse Ndione , publicado pela Rádio Londres. Confira a resenha:




Sinopse: A vida em espiral é a história de um motorista de táxi e de sua fulgurante carreira como traficante de maconha Amuyaakar Ndooy e seus quatro amigos são inseparáveis, e passam a maior parte de seu tempo fumando yamba (maconha), bebendo e filosofando sobre a vida. Depois de uma gigantesca operação policial antidroga, a yamba vira produto escasso e Amuyaakar resolve se tornar sipikat (traficante de maconha), uma escolha que o levará para um caminho cheio de perigos e obstáculos de todos os tipos e que acabará mudando para sempre o destino dos cinco amigos. A vida em espiral é um verdadeiro on the road africano, que descreve sem falsos moralismos, a corrupção, a pobreza, as injustiças e a falta de horizonte dos jovens senegaleses. No entanto, é uma história regada de ironia e dominada por um surpreendente otimismo. Esses elementos são entrelaçados através de um mecanismo narrativo perfeito e de uma linguagem extraordinariamente expressiva. Quando foi publicado no Senegal, onde o tema da droga é considerado um assunto tabu, A vida em espiral causou um escândalo, no entanto se tornou um sucesso imediato de público, ganhando o prestigioso Prêmio Literário Internacional da Fundação Léopold Sédar Senghor.“No Senegal, ‘A vida em espiral’ é um livro lendário: em Dakar, se alguém leu um só livro na vida, é quase sempre esse. Cativante como um noir, é uma história de traficantes e consumidores de maconha, totalmente desprovida de moral salvo aquela imposta pela realidade cotidiana: só o crime paga.”


Resenha: A vida em espiral - Abasse Ndione

O livro conta a história de Amuyaakar Ndoy, um rapaz de 25 anos que é taxista, nascido e morador de Sambey Karang, aldeia localizada em Rio que, junto com seus 4 amigos Bukari, Badara, Yaba Xanca e Laay Gooté, são consumidores de yamba (maconha). Mas com uma guerra às drogas que foi instaurada por lá, o início do livro nos traz a busca deles por maconha, afinal o único cara que eles ainda conheciam que vendia, foi preso (essa cena se dá logo no primeiro capítulo). Após essa prisão e esses meses em que eles ficaram sem a droga, Amuyaakar decide se tornar sipikat (traficante). E é a partir dessa decisão que o resto da história vai se desenrolar.

Acho que a principal questão que chama atenção no livro não é nem o enredo em si, mas as discussões que Ndione traz em relação às drogas, mas também, pra gente que não conhece muito da cultura e da religião deles - o islamismo -, é muito interessante também estar um pouco mais próximo das tradições que eles cultuam, que nós não sabemos quais são.


Guerra às drogas

No início do livro, como uma espécie de prefácio, o autor nos contextualiza, para que entendamos o porquê de tudo que vai acontecer no livro. Então, nessas primeiras páginas, ele nos conta que acontecimento específico deu início a essa era em que a maconha é criminalizada, e tudo que contribuiu, posteriormente, para que a substância fosse ainda mais demonizada durante os anos.

E sobre essa criminalização, é muito bom ler um livro sobre pessoas consumindo maconha e procurando formas de consumi-la independentemente dela ser criminalizada ou não, porque isso nos mostra que não interessa se determinada droga (seja ela qual for) é legal ou não, as pessoas vão continuar consumindo, porém, ao criminalizar, não se tem assistência alguma a essas pessoas que estão se viciando em determinada droga e nem a certeza de que estão consumindo um produto de boa qualidade (querendo ou não, continua sendo um produto, como sei lá, nossa amada Coca-Cola).

Aí você me diz “mas ah, tá fazendo apologia à maconha, é isso?” Não. Não estou. O álcool já foi criminalizado, e já passou pelo mesmo processo que hoje as outras drogas passam. Na década de 20 e 30, nos Estados Unidos, Al Capone, o gangster famoso que todo mundo conhece, vendia whisky. Vendia bebidas que hoje, a gente consome livremente, dentro da lei. Então é bem legal que um livro trate de um assunto tão importante de se falar, principalmente atualmente.


Cultura e Religião

O outro ponto que eu gostei muito no livro foi a respeito da religião e da cultura daquele povo. Eles são majoritariamente muçulmanos, então, durante a narrativa toda, vamos tendo informações sobre a religião deles em pequenas doses. O capítulo que eu achei mais interessante sobre o assunto é o capítulo 23.

Nesse capítulo, os mais velhos da comunidade convocam uma espécie de reunião para discutir a respeito dos jovens dali, que estão se entregando ao consumo de álcool e outras drogas. E é interessante ver como os jovens não tem lugar de fala ali. Ndione traz essa discussão, de quem tem voz no meio disso tudo, e até que ponto esses mais velhos querem realmente ouvir os mais jovens, ou se querem só impor seus dogmas e tradições a eles.

Um dos amigos de Amuyaakar, Bukari, em um momento dessa reunião, pede a palavra e, no meio de sua fala, diz o seguinte:

“– Deus não proibiu apenas o álcool, a droga e a prostituição. Toda má conduta é um pecado. Se vocês não se embebedam, cometem entretanto faltas igualmente condenáveis. A sua devoção não passa de suas cinco orações, se tanto! Os senhores não conseguiram nem realizar a eleição do Grande Imã por falta de franqueza, verdade e honestidade. Pois há critérios para a escolha de um Imã. Não quiseram observá-los e escolher entre os dois protagonistas. Hoje, toda a aldeia está dividida por sua culpa e a Grande Mesquita está fechada. Beber é considerado pelo Corão um pecado, mas não está dito em nenhuma surata que é um pecado que leva irremediavelmente ao inferno. Em compensação, em várias suratas, Deus repreende os torpes que, por seus atos escusos, dividem dois ou mais muçulmanos, dizendo-lhes que a entrada do paraíso jamais será para eles.” p. 144


A vida em espiral

A última coisa que eu acho interessante dizer sobre o livro é o sentido do título. Acredito que o nome “A vida em espiral” remeta ao número de acontecimentos “circulares” que acontecem. E por que coloquei entre aspas? Porque são acontecimentos circulares, porém eles nunca voltam ao início e parecem que nunca tem fim, assim como uma espiral.




________________________________________


Gostaram da resenha? Já leram o livro? Me conta aí embaixo nos comentários. E, se gostou, curte o post também aqui embaixo, compartilha e segue o blog.

Um abraço, e até logo!
Camila

julho 01, 2018

Olá, Leitores! Domingo, primeiro de julho, e o dia começa com a resenha da Paloma, uma de nossas amigas-colunistas que nos acompanha desde o início do Blog :) Atualmente, além de compartilhar leituras e resenhas no Instagram, a Paloma se dedica às artes digitais, e nos próximos meses publicará suas impressões criativas acompanhadas por livros igualmente inspiradores <3 Para conhecer mais o trabalho da Paloma, siga o perfil PARTES, tanto no Insta como no Tumblr.

A ilustração abaixo foi inspirada no livro Queria que você me visse, de Emery Lord, publicado pela Companhia das Letras. Espero que gostem da inspiração e da resenha! 

Até a próxima! 
Rebeca




Sinopse: Jonah Daniels vive em uma cidadezinha na Califórnia desde que nasceu. Há seis meses, com a morte de seu pai, toda a sua família teve que se adaptar: Jonah e seus cinco irmãos se tornaram responsáveis por manter a casa em ordem e cuidar do restaurante que o pai deixou. No começo do verão, porém, a vida do garoto parece prestes a seguir um novo rumo com a chegada de Vivi Alexander.

Vivi é apaixonada pela vida. Encantadora e sem papas na língua, ela se recusa a tomar um de seus remédios porque sente que ele reprime seu ímpeto de viver novas aventuras. E, ao encontrar Jonah, ela tem certeza de que está prestes a viver mais uma. Mas será que Jonah está disposto a correr os mesmos riscos que ela?



Impressões: Logo no início somos apresentados a dois mundos, que inicialmente parecem ser completamente diferentes, mas que ao longo da leitura vamos perceber que carregam dores parecidas. Em capítulos alternados, conhecemos as narrativas de Jonah e Vivi.

Jonah apresenta ao leitor seu mundo que está em completa desordem. Perder o pai alterou toda a rotina de sua enorme família. Percebemos logo de cara que ele é um rapaz fofo, destruído, que teve que crescer às pressas pra dar conta das novas responsabilidades que teve que assumir. Ou seja: não tem como odiar Jonah. 

Vivi entra nessa história de forma vibrante e cativante. Ela acabou de chegar nessa cidade (por motivos que vamos conhecer melhor ao longo da leitura), e é cheia de vida e cores, e estilo, e alegria. Vivi é apaixonante logo nas primeiras páginas. 


Apesar de serem completamente diferentes um do outro, parece que os dois se encontram num momento propicio. Jonah precisa da alegria de Vivi, e ela está muito disposta a embarcar nisso.

Nessa jornada, conhecemos os personagens secundários, mas extremamente importantes, que são os familiares de ambos. A família enorme de Jonah, e seus irmão que são incríveis, trazem ao livro algumas singularidades.

Mas apesar de ser uma história de amorzinho, ela também trás algumas dores no caminho e somos pegos de surpresa ao ter que lidar com outras perspectivas dos mesmos personagens.


Nessas perspectivas mais sombrias, a autora nos pega pela mão e aborda temas como depressão, luto e bipolaridade, abrindo diálogo para entendermos mais sobre as doenças mentais e todas essas pautas.

A autora conseguiu falar sobre isso de maneira muito informativa, deixando muitas portas abertas pra que a gente consiga entender e falar sobre o assunto.

Por fim, Queria que você me visse é uma leitura ótima pra quem procura um YA de jovenzinhos problemáticos, complicados e cativantes.

E você, já conhecia essa história? Compartilha nos com a gente suas impressões aqui nos comentários!

Um abraço,
Paloma


junho 29, 2018


Olá, Leitores! Tudo bem com vocês? :) O post de hoje contém novidades! A partir da próxima semana (início de julho) o Blog Papel Papel contará com a participação de novos colunistas e parceiros literários que criarão um conteúdo semanal para as seguintes editorias: resenhas, crônicas e poesias. O grupo foi selecionado através de convocatória realizada no Instagram e logo mais vocês conhecerão um pouco do trabalho e perfil deste novo grupo aqui no Blog :)

Em relação a parcerias com novas editoras, temos a alegria de compartilhar com vocês o trabalho de mais uma casa editorial carioca, a Bazar do Tempo, reconhecida por seu catálogo ricamente selecionado (especialmente nas áreas de áreas de fotografia, arquitetura, música, poesia, história, ensaio, literatura infantojuvenil e memória cultural) e pelo belíssimo cuidado gráfico de suas edições.


Alguns dos autores publicados pela Bazar do Tempo: Adriana Calcanhoto, Carlos Drummond de Andrade, Eduardo Jardim, Fernando Pessoa, Octavio Paz...


Sobre a Bazar do Tempo:

Criada em 2015 e dirigida por Ana Cecilia Impellizieri Martins, ex-sócia e diretora editorial da Casa da Palavra e Edições de Janeiro, a editora converge em suas parcerias profissionais que compartilham o desejo de produzir livros e projetos de relevância cultural e social. Com isso, a Bazar do Tempo afirma seu objetivo de valorizar o patrimônio artístico e a memória cultural do Brasil e conectar o país com outras culturas, nos campos das letras e das imagens.

Além de livros impressos, a Bazar do Tempo também está dedicada a projetos especiais de fôlego, incluindo sites, livros em plataforma digitais, exposições, projetos de incentivo à leitura e produções audiovisuais.

Com dedicação e confiança, a Bazar do Tempo espera que seu catálogo possa atravessar os tempos, como valioso legado cultural.

Acompanhe o trabalho da Editora no Instagram: @bazardotempo


Dentre as publicações, indicamos para nossos leitores o lançamento Sem lugar no mundo – Relato de uma livreira judia em fuga na Segunda Guerra Mundial, de Françoise Frenkel:


Sinopse da Editora: "Livreira judia de origem polonesa e apaixonada pela literatura, Françoise Frenkel abre a primeira livraria francesa em Berlim no começo dos anos 1920, fazendo do lugar um ponto de encontro da intelectualidade local e de grandes escritores da França. Com a ascensão do nazismo na Alemanha na década de 1930, Françoise começa a viver o terror das perseguições. Graças a ajuda do governo francês, consegue fugir para a França, em um dos últimos trens autorizados a deixar o país com estrangeiros de origem judaica. Em Paris, a cidade de seus tempos de estudante, ela percebe rapidamente que não estaria a salvo. Com a ocupação alemã, a capital seria apenas mais uma entre as diversas escalas que precisaria fazer, sozinha, para escapar da eminente deportação e da morte.


Em seu relato, narrado em primeira pessoa, Françoise permite que o leitor acompanhe em detalhes os medos, as perdas, as traições e privações de seu desesperado périplo. E que conheça também a solidariedade e resistência dos franceses que não se renderam aos nazistas.

Publicado em pequena edição na Suíça, em 1945, seu livro ficou esquecido por décadas, sendo redescoberto nos dias de hoje.

Um raro testemunho, corajoso e emocionante, da luta pela sobrevivência no dramático período da Segunda Guerra Mundial.

Com prefácio do Prêmio Nobel Patrick Modiano, a edição conta ainda com um dossiê que busca refazer a biografia da nossa valente livreira e heroína Françoise Frenkel."


Aos novos parceiros, nosso muito obrigada pela amizade e confiança em nosso trabalho :) Em breve voltaremos com a resenha deste belo lançamento da Bazar do Tempo e também com o conteúdo exclusivo de nossos colunistas :)

Um abraço a todos,
Rebeca C.

junho 19, 2018


Quem nos acompanha pelo Instagram já sabe de nossa paixão pelo segmento da motivação e do autoconhecimento, assim como o da educação financeira e do empreendedorismo. Aqui no blog, sempre que possível, indicamos de editoras especializadas nestes temas, e a postagem de hoje é dedicada ao trabalho da Editora Libretteria, uma casa editorial mineira com um catálogo focado principalmente nas áreas de gestão e administração.

Recebemos uma cartinha da querida Isabela Godoy contendo dois títulos muito interessantes: Como Gerenciar e Enfrentar Desafios, do autor Raimundo Godoy, e também Sou 60 – Diário de uma jornalista em busca de respostas sobre o envelhecimento e a vida, escrito por Roberta Zampetti. À primeira vista, ambas as publicações (aparentemente "opostas", se atentarmos apenas para seus títulos) se aproximam por tratar como essencial os seguintes pares: visão e valores, assim como propósito e autoconhecimento. Afinal, sem a compreensão destes pares em nosso cotidiano, dificilmente superaremos as instabilidades e desafios de cada fase de nossa vida, principalmente quando a mudança, a dúvida e a perda tornam-se temporariamente protagonistas.

Em Sou 60, a autora convida-nos a responder as seguintes inquietações:

- Por que faço o que faço;
- Quais são as coisas que faço, porque preciso fazer;
- Quais outras coisas não são necessárias, mas escolho fazê-las por absoluto prazer.

Já no livro de Godoy, o convite é para o leitor "estabelecer para si uma visão de futuro, buscando ser o melhor naquilo que se faz, respeitando sempre a sua base de valores".

Ou seja, não importa em qual idade ou situação profissional estejamos: o cuidado e a consciência de si são aliados para uma vida próspera e, assim esperamos, com menores chances para insatisfações e conflitos...


Vamos conhecer os lançamentos da Libretteria? :)




Sinopse: Prestes a chegar aos 60 anos, Roberta Zampetti se assustou. E o futuro? Em um mundo recheado de preconceitos, envelhecer seria um problema? Utilizando sua profissão, o jornalismo, como instrumento de autoconhecimento, ela estudou teorias, entrevistou especialistas, participou de eventos e conversou com dezenas de idosos, no Brasil e no exterior. São essas histórias e descobertas que ela compartilha conosco neste livro. Prepare-se para uma boa leitura, com direito a risos, emoções e reflexões. Um convite a enxergar a velhice da maneira como deve ser: positiva, como todas as fases da vida.





Sinopse: Tendo como pano de fundo a bela história do José do Egito, este livro inspira-nos a estudar e entender o passado, o qual sempre será referência, construir o presente e projetar o nosso futuro. Por meio de uma linguagem simples e envolvente, o leitor é convidado a fazer uma reflexão sobre como enfrentar e superar desafios e a não desistir diante das dificuldades. Ao traçar um paralelo entre as ações tomadas por JOSÉ, o administrador do Egito, e os modernos conceitos de gestão, o livro demonstra que métodos gerenciais foram e são imprescindíveis para o sucesso de uma estratégia. Com o objetivo de despertar a reflexão e o desejo de transformação, esperamos que, ao final da leitura, você esteja extremamente motivado a propor melhorias estruturais no seu ambiente de trabalho e na sua forma de enxergar e resolver problemas.


Sobre a Editora: A Editora Libretteria é fruto da revitalização da editora do Grupo Voo Livre, fundada em 1994.

A atividade editorial ficou adormecida durante algum tempo, mas a paixão pela leitura, pela escrita, pelo conhecimento e pela criatividade esteve sempre latente nos sócios do Grupo Voo Livre, deixando-os sedentos da vontade de se entregarem novamente a essa atividade, convencidos de que é preciso por um pouco de si em tudo que se faz.

A intenção de revitalizar a editora surgiu do desejo de inovar o conceito de apresentação do livro, para que ele possa competir em igualdade de condições no mundo digital.

Nosso diferencial é oferecer livros que agreguem conhecimento inovador, mas em uma embalagem interativa, agradável aos olhos e apetitosa para a leitura, quer sejam livros de conhecimento técnico, quer sejam de literatura em geral. Essa é a nossa marca!

Os sócios do Grupo Voo Livre comungam da ideia de que o conhecimento é libertador e transformador, sendo o livro o mágico veículo de transmissão desse conhecimento. É apaixonante pensar que cada leitor produz realidades e imagens diferentes em suas mentes a partir do mesmo texto.

Que os livros da Editoria Libretteria possam produzir verdadeiras ondas revolucionárias de conhecimento.

Sinta-se em casa. Vire a página. Revire o mundo.

Conheça nossas redes: Instagram | Facebook


maio 30, 2018

Olá, Leitores! No post de hoje compartilhamos o lançamento da coletânea de crônicas Entrelinhas, publicada pela UNY Editora, que reúne o trabalho de sete jovens escritoras: @alessandrapiassarollo, @danttuart, @ivonetepoetisa, @jessicapellegrini, @instaconversecomigo e @rachelmotta (aliás, tem resenha da Rachel Motta aqui no blog!). Conheça também este lançamento :) Abaixo, texto de Giulianna Beatriz sobre a coletânea.

 
Escritoras de várias partes do Brasil se reúnem em uma coletânea de crônicas inspiradoras e cheias de sentimentos

Por Giulianna Beatriz

Entrelinhas. Sete mulheres. Sete escritoras que possuem a arte de contar histórias leves, profundas e intensas. Mergulhando entre doçura e melancolia, fazem o leitor viajar entre o romance, o drama e o suspense em uma coletânea de crônicas irresistíveis. Histórias sobre mim, sobre você, sobre elas próprias, que conquistam a mente e o coração do leitor.

"Escrevo desde a infância. Sempre foi minha paixão e ainda criança lembro que já falava que seria escritora", lembra Rachel Motta, jornalista, autora do blog Histórias e Emoções e colunista nos blogs Vigor Frágil e Me Apaixonei.


A escritora abre a sua participação no livro com um texto premiado. Rachel Motta foi a vencedora (1º lugar) do concurso de Contos da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto), em 2007, e aproveitou a edição do Entrelinhas para relançar o conto “A Casa da Velha Ângela”. O material traz ainda um segundo mini conto intitulado “Lá em casa”, além de outros gêneros literários como uma carta, poemas e crônicas amorosas, espirituais e sobre fatos cotidianos. Destaque para um texto em homenagem ao seu pai, quando faz uma reflexão sobre a vida, que considera um exercício diário em busca do equilíbrio.

Quase todas as escritoras compõem o time de colunistas do site Me Apaixonei (2,6 milhões de seguidores no Facebook). "Escrever tem me feito refletir mais sobre mim, o que quero, os meus desejos, a minha vida e, além disso, tem me proporcionado conhecer outras pessoas com a mesma paixão pela literatura como as escritoras que dividem comigo as páginas do Entrelinhas."

O Entrelinhas é produzido pela UNY Editora através da junção de pensamentos, contos e crônicas produzidas por sete autoras de vários estados do Brasil. São elas: Alessandra Piassarollo, Deborah Anttuart, Ivonete Rosa, Jéssica Pellegrini, Luciana Marques, Rachel Motta e Wandy Luz. São histórias inspiradoras que nos envolvem através de deliciosas vivências sobre amor, espiritualidade, amizade e sentimentos. Tudo isso em um único livro, que vai encantar todos aqueles apaixonados por contos e literatura.


Entrelinhas Coletânea Literária – Vol 1   

Autoras: 
Alessandra Piassarollo
Deborah Anttuart
Ivonete Rosa
Jéssica Pellegrini
Luciana Marques
Rachel Motta 
Wandy Luz.

160 páginas

Preço: R$ 40 (frete incluído para todo o Brasil), à venda nas redes sociais das autoras.