[Novos Autores] Coletânea Entrelinhas | Uny Editora

maio 30, 2018
Olá, Leitores! No post de hoje compartilhamos o lançamento da coletânea de crônicas Entrelinhas, publicada pela UNY Editora, que reúne o trabalho de sete jovens escritoras: @alessandrapiassarollo, @danttuart, @ivonetepoetisa, @jessicapellegrini, @instaconversecomigo e @rachelmotta (aliás, tem resenha da Rachel Motta aqui no blog!). Conheça também este lançamento :) Abaixo, texto de Giulianna Beatriz sobre a coletânea.

 
Escritoras de várias partes do Brasil se reúnem em uma coletânea de crônicas inspiradoras e cheias de sentimentos

Por Giulianna Beatriz

Entrelinhas. Sete mulheres. Sete escritoras que possuem a arte de contar histórias leves, profundas e intensas. Mergulhando entre doçura e melancolia, fazem o leitor viajar entre o romance, o drama e o suspense em uma coletânea de crônicas irresistíveis. Histórias sobre mim, sobre você, sobre elas próprias, que conquistam a mente e o coração do leitor.

"Escrevo desde a infância. Sempre foi minha paixão e ainda criança lembro que já falava que seria escritora", lembra Rachel Motta, jornalista, autora do blog Histórias e Emoções e colunista nos blogs Vigor Frágil e Me Apaixonei.


A escritora abre a sua participação no livro com um texto premiado. Rachel Motta foi a vencedora (1º lugar) do concurso de Contos da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto), em 2007, e aproveitou a edição do Entrelinhas para relançar o conto “A Casa da Velha Ângela”. O material traz ainda um segundo mini conto intitulado “Lá em casa”, além de outros gêneros literários como uma carta, poemas e crônicas amorosas, espirituais e sobre fatos cotidianos. Destaque para um texto em homenagem ao seu pai, quando faz uma reflexão sobre a vida, que considera um exercício diário em busca do equilíbrio.

Quase todas as escritoras compõem o time de colunistas do site Me Apaixonei (2,6 milhões de seguidores no Facebook). "Escrever tem me feito refletir mais sobre mim, o que quero, os meus desejos, a minha vida e, além disso, tem me proporcionado conhecer outras pessoas com a mesma paixão pela literatura como as escritoras que dividem comigo as páginas do Entrelinhas."

O Entrelinhas é produzido pela UNY Editora através da junção de pensamentos, contos e crônicas produzidas por sete autoras de vários estados do Brasil. São elas: Alessandra Piassarollo, Deborah Anttuart, Ivonete Rosa, Jéssica Pellegrini, Luciana Marques, Rachel Motta e Wandy Luz. São histórias inspiradoras que nos envolvem através de deliciosas vivências sobre amor, espiritualidade, amizade e sentimentos. Tudo isso em um único livro, que vai encantar todos aqueles apaixonados por contos e literatura.


Entrelinhas Coletânea Literária – Vol 1   

Autoras: 
Alessandra Piassarollo
Deborah Anttuart
Ivonete Rosa
Jéssica Pellegrini
Luciana Marques
Rachel Motta 
Wandy Luz.

160 páginas

Preço: R$ 40 (frete incluído para todo o Brasil), à venda nas redes sociais das autoras.

Um verão na Itália - As Irmãs Shakespeare (Volume 1) - Carrie Elks | Editora Verus | Pré-venda na Amazon

maio 28, 2018

Editora Record sempre caprichando em suas ações promocionais! <3 Agora em maio recebemos uma caixinha do projeto Very Important Book, que tem como premissa divulgar em primeira mão apostas editoriais, principalmente de novos autores, em diversos blogs e veículos de comunicação.

Nesta ação de maio, a aposta é um lançamento YA da autora Carrie Elks, publicado pela Editora Verus. O livro já está em pré-venda e é o primeiro volume de uma série <3

Para quem se identifica com o gênero YA, certamente se envolverá com a trama da protagonista Cesca Shakespeare, que apesar de seus vinte e poucos anos já possui uma pequena coleção de inseguranças, uma grande vivência em trabalhos mal remunerados, além de um enorme sonho prematuramente interrompido. Como não poderia ser diferente, o livro de Carrie Elks reforça esta intensidade e falta de perspectivas da juventude, porém, felizmente a narrativa não se desgasta nesta espiral de sentimentos (como acontece, por exemplo, nos intermináveis monólogos interiores de Louisa Clark, na tão conhecida trilogia de Jojo Moyes). A trama começa assim: logo nas primeiras páginas, a personagem Cesca Shakespeare tem a oportunidade de sair de Londres, sua nebulosa cidade, para temporariamente trabalhar em uma nada singela villa no interior da Itália. Nesta transição geográfica, a autora já consegue cativar o leitor com suas belas paisagens e, principalmente, com a mudança de ares e humores de nossa protagonista, e este é realmente um com começo.

No entanto, o que parecia perfeito será desconstruído também no início do livro, como nos antecipa a sinopse da Editora: ao chegar seu trabalho nesta villa italiana, Cesca reencontra o "vilão" de seu passado, e será preciso um amadurecimento extremamente rápido para não surtar, manter seu emprego e ainda lidar com esta reviravolta de sentimentos.

Sim, este é um título YA, daí o turbilhão emocional no intervalo de dois ou três capítulos. E sim, você também acertou: esta nova e temporária vida de Cesca Shakespeare será também preenchida por uma leve disputa amorosa, alguns episódios de ciúmes e uns dois capítulos um tanto "hot" demais (para um livro YA, achei excessivamente descritivo; se estivéssemos lendo um título "tipo Julia Quinn", ok, a gente já esperaria este formato de narração amorosa, mas não é bem o caso).

Em linhas gerais, este primeiro volume de Carrie Elks é uma leitura que nos faz reavaliar a forma como reagimos (ou definhamos) emocionalmente diante dos inúmeros imprevistos de nossa vida. Seja em uma situação de trabalho ou relacionamento, é importante não gastarmos toda a nossa energia apontando culpados para os nossos problemas (não que seja fácil; não é mesmo); ao invés, que possamos encontrar forças para direcionar o que nos resta de tranquilidade e "dar o próximo passo", "dar a volta por cima", e simplesmente seguir. Este é um dos maiores desafios não apenas de nosso dia-a-dia, mas da própria literatura jovem, e de nossa já querida Cesca Shakespeare, cujo pequeno amadurecimento poderá servir de inspiração para muitos de seus leitores.

E que venham os próximos volumes da série! Já estamos ansiosos :)




Um verão na Itália - Carrie Elks
Livro em Pré-venda

Sinopse:  Férias de verão gratuitas em uma bela villa na Itália. A condição? Dividir a casa com seu maior inimigo...

Cesca Shakespeare chegou ao fundo do poço. Depois de escrever uma peça de teatro premiada que acabou em desastre, o bloqueio criativo se instalou, sem previsão de ir embora. Seis anos mais tarde, ela acabou de perder mais um emprego pavoroso e está prestes a ser despejada de seu apartamento. Pior ainda, suas irmãs não fazem ideia de como sua vida vai mal. Assim, quando seu padrinho lhe arruma uma temporada de verão em uma villa italiana, sem ter de pagar nada por isso, Cesca concorda, meio a contragosto, em ir para lá e tentar escrever uma nova peça. Isto é, antes de descobrir que a casa pertence a seu arqui-inimigo, Sam Carlton.

Tendo acabado de ver seu nome em todas as manchetes pelas razões erradas — mais uma vez —, o galã de Hollywood Sam Carlton precisa de um lugar para se esconder. Que opção melhor do que a linda villa desocupada de sua família à beira do lago de Como? Só que, quando ele chega, descobre que a casa não está tão desocupada quanto ele esperava.

Ao longo do quente verão italiano, Cesca e Sam terão de confrontar o passado. E o que começa como uma hesitante amizade rapidamente se torna uma atração intensa. À medida que seus mundos colidem, uma escolha terá de ser feita: o que está acontecendo entre eles é apenas um caso de verão, ou um amor capaz de enfrentar até as tempestades mais violentas? Uma coisa é certa: este será um verão abrasador...

Esta é a nova e deliciosa série da autora best-seller Carrie Elks. Você vai conhecer a família Shakespeare: quatro irmãs, quatro histórias... quatro maneiras de encontrar o amor verdadeiro.

[Novidades das Editoras] 12 Regras para a vida - Jordan Peterson | Alta Books

maio 24, 2018

"Em vez de protestar e tentar mudar o mundo, primeiro ganhe a guerra do mal dentro de você. Para fazer do mundo um lugar melhor primeiro, faça as coisas que você tem que fazer todos os dias. E as faça - todos os dias."

12 Regras para a Vida: Um antídoto para o caos, de Jordan Peterson, é um dos lançamentos mais esperados da Editora Alta Books! O livro trata de questões simples e práticas relacionadas às liberdades individuais e à busca de sentido para a vida.

Neste livro, Jordan oferece doze princípios profundos e práticos sobre como viver uma vida com significado:

- Costas eretas, ombros pra trás
- Cuide de si mesmo como cuidaria de alguém sob sua responsabilidade
- Seja amigo de pessoas que queiram o melhor para você
- Compare a si mesmo com quem você foi ontem, não com quem outra pessoa é hoje
- Não deixe que seus filhos façam algo que faça você deixar de gostar deles
- Deixe sua casa em perfeita ordem antes de criticar o mundo
- Busque o que é significativo, não o que é conveniente
- Diga a verdade ou, pelo menos, não minta
- Presuma que a pessoa com quem está conversando possa saber algo que você não sabe
- Seja preciso no que diz
- Não incomode as crianças quando estão andando de skate
- Acaricie um gato ao encontrar um na rua

Para mais informações, acesse: http://12regrasparaavida.com.br




Sinopse da Editora:

Quais as coisas mais valiosas que todos deveriam saber?

Aclamado psicólogo clínico, Jordan Peterson tem influenciado a compreensão moderna sobre a personalidade e, agora, se transformou em um dos pensadores públicos mais populares do mundo, com suas palestras sobre tópicos que variam da bíblia, às relações amorosas e à mitologia, atraindo dezenas de milhões de espectadores. Em uma era de mudanças sem precedentes e polarização política, sua mensagem franca e revigorante sobre o valor da responsabilidade individual e da sabedoria ancestral tem ecoado em todos os cantos do mundo.

Bem-humorado, surpreendente e informativo, dr. Peterson nos conta por que meninos e meninas andando de skate devem ser deixados em paz, que terrível destino aguarda aqueles que criticam com muita facilidade e por que você sempre deve acariciar gatos ao encontrar um na rua. O que o sistema nervoso das humildes lagostas tem a nos dizer sobre a relação entre manter as costas eretas (e os ombros para trás) e o sucesso na vida? Por que os antigos egípcios veneravam a capacidade de atenção como seu deus mais supremo? Que terríveis caminhos as pessoas percorrem quando se tornam ressentidas, arrogantes e vingativas?

A partir de exemplos vívidos de sua prática clínica e vida pessoal, bem como de lições extraídas das histórias e mitos mais antigos da humanidade, 12 Regras para a Vida oferece um antídoto para o caos em nossas vidas: verdades eternas aplicadas aos nossos problemas modernos.

“Cada um de nós deve aceitar tanta responsabilidade quanto possível por nossas vidas, pela sociedade e pelo mundo. Cada um de nós deve dizer a verdade e corrigir o que está errado e quebrado, recriando o que está velho ou desatualizado. É dessa forma que podemos e devemos reduzir o sofrimento que envenena o mundo”, afirma Peterson.



The Girl from Everywhere - Heidi Heilig | Editora Morro Branco | Por Luana Souza

maio 21, 2018

Oi! Voltei pra esse blog que amo tanto com mais um resenha (que, por sinal, deveria ter sido postada há meses, sorry). O livro da vez é uma aventura. Foi o primeiro livro finalizado da minha tbr da Maratona Literária de Outono de 2018 :)


Sinopse: Uma história de viagem no tempo para os fãs de Outlander e A Rebelde do Deserto. Nix é uma viajante do tempo. Ela e seu pai, Slate, velejam a bordo do Temptation, um navio pirata repleto de tesouros. Ao longo do caminho eles encontram amigos, uma tripulação de refugiados do tempo e até mesmo um charmoso ladrão que pode significar muito mais para Nix.

Tudo que Slate precisa é um mapa certo para viajar a qualquer tempo e lugar, real ou imaginário: seja para a China no século 19; terras vindas direto das Mil e Uma Noites ou até mesmo uma mítica versão da África.

Apesar das inúmeras possibilidades, o pai de Nix está obcecado com um mapa específico: Honolulu, 1868 – o ano de nascimento de Nix e a última vez em que ele viu sua esposa viva. E, por uma chance de reencontrá-la mais uma vez, Slate está disposto a sacrificar tudo e a todos.

Quando o desejado mapa aparece, Nix vê sua própria existência em perigo e agora deve descobrir o que quer, quem é, e aonde realmente pertence, antes que seu tempo acabe.

Para sempre.


Eu me animei com a leitura desse livro assim que li a sinopse, mas acabei abandonando o livro por um tempo depois das primeiras 70 páginas, pois elas não conseguiram me prender como gostaria. Mas, como estava determinada a lê-lo ainda esse mês, embarquei novamente no Temptation e não me arrependo. Acredito que o começo se torna um pouco lento porque não conhecemos nada das filosofias de viagem no tempo que essa tripulação faz, e a autora faz questão de tratar os leitores como se já fossem ótimos conhecedores hehe.

Eu adoro livros com esse tema e, confesso, quanto mais maluco for o modo de viajar no tempo, melhor! A grande diferença das viagens de The Girl from Everywhere para outros que já li é que eles podem ir para lugares fictícios. Basta ter o mapa certo. Isso é tão legal!

A história vai se tornando mais instigante a cada capítulo, embora as coisas pareçam um pouco confusas. Acabei que terminei o livro sem nem perceber. Os capítulos são curtos, e a protagonista é a uma garota forte e inspiradora, mas que não nega suas angustias quanto a não saber o que será dela caso seu pai consiga realizar a viagem que tanto anseia.

Algo que eu achei que pudesse me incomodar era o triângulo amoroso. Tenho um pequeno receio quando encontro esse tipo de situação nas histórias, mas, ao contrário de muitos por aí que me deixaram com raiva, esse não me incomodou. É algo natural, espontâneo, e realmente necessário para que a protagonista consiga se conhecer melhor. A autora não tornou essa questão a grande questão da vida de Nix, e isso é ótimo, pois relacionamentos não precisam ser o centro da vida de uma pessoa.

“Não sou uma dama, Blake. Sou uma marinheira."



É um livro para pessoas que realmente gostam de viagens no tempo, aventuras e um pouquinho de romance. Alguém que não está acostumado pode acabar não gostando muito. O título faz jus à história, pois, apesar de tudo o que acontece ao longo da narrativa, nossa protagonista está tentando achar seu lugar no mundo e descobrir quem é de verdade!

“Quando você sabe para onde vai, e tem certeza de que é para lá que deve ir, precisa desistir de onde veio. Tem que olhar para a frente, manter a terra a vista e não olhar para trás."


Gostaria de enaltecer o trabalho gráfico feito pela Editora Morro Branco. A capa é linda, mesmos sendo de brochura, e eu adorei a ideia de manter o título em inglês (todos que me viam lendo perguntavam se eu estava lendo um livro gringo hehe). Todo início de capítulo tem detalhes que remetem a constelações, e a folha de guarda também tem ilustrações. A cada livro que leio eu me encanto mais pela editora ❤ 


“Paraíso é uma promessa que nenhum deus se incomoda de cumprir. Só existe o agora, e amanhã nada será igual, gostemos disso ou não."


Alguém aí já leu? Quem também gosta do tema? Adoraria poder conversar com vocês sobre essa história nos comentários. Ah, se alguém quiser saber mais sobre a minha pessoinha, basta acessar o blog memorialices ;)

Obrigada por tudo, pessoal! L, ❤

Gosta de Young Adult e Ficção? Conheça estes 2 lançamentos da Editora Rocco

maio 15, 2018

Dia de curtir uma vitamina D e curtir os recebidos aqui do Blog! Dentre os lançamentos de abril/maio da Rocco, selecionamos dois titulos dos selos young adult da editora para compartilhar aqui com vocês. Vamos conhecer estas novas leituras? :)


Um ano solitário - Alice Oseman

A adolescência é um período desconcertante. Cruel, surpreendente, melancólico – tudo ao mesmo tempo – e poucos autores conseguem escrever sobre essa fase de forma sincera e inteligente. Não por acaso, Um ano solitário, de Alice Oseman, é comparado com o marco da literatura sobre as angústias juvenis: um Apanhador no campo de centeio da era digital, segundo o jornal britânico The Times.

O livro de estreia da jovem autora britânica, publicado quando Alice Oseman tinha 19 anos, retrata o que é ser adolescente nos dias de hoje: a falta de motivação no espaço escolar, transtornos alimentares e psicológicos e a internet como espaço de fuga – que se somam às tradicionais paixões escolares e dramas familiares.

Estudante do penúltimo ano do ensino médio, Tori Spring tem amigos dos quais não gosta, ouve músicas deprimentes e escreve em um blog sobre seu pessimismo crônico. Até que, em um dia como qualquer outro, ela segue uma trilha de post-its que a levam de seu armário na escola até o laboratório de informática. Na sala deserta, uma mensagem fala sobre um misterioso grupo chamado “Solitaire”, em referência ao jogo de cartas “Paciência”, com o qual a adolescente costuma passar o tempo durante o recreio e horários vagos. Também nesse dia, ela conhece o sempre esfuziante Michael Holden, aluno novo na escola, que parece determinado em tornar-se seu amigo.

De início, o Solitaire pouco a interessa, mas as brincadeiras e jogos que o grupo promove envolvendo toda a escola tornam-se progressivamente mais perigosas. E o mais estranho: relacionam-se cada vez mais com os dilemas da vida de Tori. Para solucionar o quebra-cabeça que se forma, a adolescente vai descobrir que precisa mais dos amigos e familiares do que gostaria de reconhecer. Um ano solitário é uma resposta de Alice Oseman para personagens como Holden Caulfield, de O Apanhador no campo de centeio, e Charlie, de As vantagens de ser invisível. Um livro sobre amizades, descobertas e sobre aprender que uma pessoa pode mudar tudo.


Warcross - Marie Lu

Um jogo de realidade virtual que faz parte da rotina de milhões de pessoas em todo o planeta é o fio condutor de Warcross, novo livro de Marie Lu. A aclamada autora da trilogia Legend aproveita sua experiência na indústria de videogames para criar um suspense de ficção científica que promete fisgar os leitores, especialmente os mais jovens. Centrada na hacker adolescente Emika Chen, que trabalha como caçadora de recompensas, a história usa como cenário as cidades de Nova York e Tóquio para mostrar um universo em que a tecnologia vira entretenimento de massa e funciona como válvula de escape.

Quem vê Emika Chen andando por Nova York pensa estar diante de uma adolescente como outra qualquer: cabelos coloridos, tatuagens, roupas surradas, mochila nas costas, um skate e olhos atentos ao celular. Mas a realidade dela em nada se parece com a da maioria das pessoas de sua idade: com o aluguel atrasado e um aviso de despejo pregado na porta, a jovem órfã usa suas habilidades de hacker para exercer a arriscada função de caçadora de recompensas, entregando para a polícia criminosos considerados menos perigosos.

Quando a caçada que poderia pagar suas contas dá errado, Emika volta para casa, liga a TV e tenta se distrair fazendo a mesma coisa que milhões de espectadores ao redor do mundo: acompanhar a abertura do campeonato oficial de Warcross, um jogo de realidade virtual bastante popular criado por Hideo Tanaka, o bilionário dono da Henka Games. Sem conseguir esquecer seus problemas financeiros, a adolescente decide se arriscar hackeando a partida e roubando um item que pode valer 15 mil dólares no mercado de compra e venda da comunidade de jogadores. Mas a tentativa, que parecia ter sido um sucesso, acaba falhando, expondo a identidade da jovem.

Apavorada e certa de que seria presa, Emika decide ignorar ligações e mensagens recebidas no celular, pedindo que entrasse em contato. Ao ver repórteres na porta do prédio onde mora e descobrir que o número a ser discado é da filial da Henka Games em Manhattan, a hacker entrega os pontos, achando que irá falar com advogados da empresa. Para a surpresa dela, do outro lado da linha está o famoso Hideo Tanaka, com uma proposta de trabalho. Em vez de levá-la ao banco dos réus, ele quer a adolescente em Tóquio.

Aos 13 anos, Tanaka se transformou em um gênio adolescente ao inventar o jogo Warcross e os óculos NeuroLink, que permitem ao usuário criar mundos virtuais indistinguíveis da realidade. Quase uma década depois, o bem-sucedido empresário está às voltas com uma pessoa misteriosa, capaz de alterar as linhas de código e mexer na programação do Warcross. Por isso, ele precisa de Emika: nada melhor do que uma hacker talentosa para identificar quem tem burlado a segurança do sistema.

Ao aceitar a missão, Emika parece estar em um sonho: recebe roupas e acessórios das melhores marcas, fica hospedada em lugares luxuosos, ganha itens de última geração da Henka Games e conhece as estrelas do Warcross, de quem será companheira de time. Conforme a investigação avança, fica a dúvida no ar: será que o ameaçador Zero é mesmo o vilão? Haverá outros jogadores envolvidos em uma trama sinistra? Embarque na aventura criada por Marie Lu e descubra.

Ciclo de Palestras Sextante 20 Anos

 


Nos próximos dias 26 e 27 de maio a Editora Sextante realizará em São Paulo um Ciclo de Palestras em comemoração aos seus 20 anos de atividades. A programação tem como foco a realização e o desenvolvimento pessoal e traz autores-palestrantes já conhecidos da Editora, como Gustavo Cerbasi, Augusto Cury e Sri Prem Baba. O evento será realizado no Teatro Gazeta e a entrada custa 20 reais (10 reais meia). Adquira seu ingresso:

26/5
MANHÃ - 11h às 12h30: http://bit.ly/sextante20anos1 
Você é insubstituível, com Augusto Cury
TARDE - 15h às 17h30: http://bit.ly/sextante20anos2 
Propósito e as escolhas para ser feliz, com Bruna Lombardi e Sri Prem Baba
Como ser feliz com o seu corpo, com Daiana Garbin, Daniel Barros e Sophie Deram

27/5
MANHÃ - 11h às 12h30: http://bit.ly/sextante20anos3
Liderança e empreendedorismo, com Bernardinho e Cristiane Correa

TARDE - 14h às 16h30: http://bit.ly/sextante20anos4
Carreira e vida financeira com Cristiane Correa e Gustavo Cerbasi
Corrupção e eleições, com Deltan Dallagnol, Fernando Gabeira e Vladimir Netto

Imperdível :)



10 Adaptações Literárias na Netflix | Por Mich Fraga

maio 14, 2018

Oi gente, tudo bem? Eu adoro assistir filmes, principalmente uma boa adaptação literária como foi, por exemplo, "O Extraordinário". Infelizmente nem todo filme que foi baseado na história de um livro pode ser considerado como adaptação. "Percy Jackson", por exemplo, é um filme divertidíssimo, mas que não tem nada em comum com o livro. Pensando em todos esses prós e contras - e como boa cinéfila e bookaholic que sou - decidi indicar para voces 10 boas adaptações literárias para passar o fim de semana debaixo do cobertor assistindo... Ah e o melhor de tudo é que todos esses filmes estão disponíveis na Netflix!

A lista está bem eclética: filme clássico, cotemporaneo, tragédia, romance, young adut, documentário e fantasia. Certamente voce vai se identificar com algum desses títulos. Confira todos os detalhes no vídeo! ;)


Conheça as indicações: 

Stardust: o mistério da estrela (2007)
Direção: Matthew Vaughn
Elenco: Michelle Pfeiffer, Robert De Niro, Charlie Cox, Claire Danes.
Sinopse: Depois de prometer a Vitória que pegará uma estrela cadente para provar seu amor, o jovem Tristan viaja para um mundo mágico para ganhar seu coração.

Direção: Carlo Carlei
Elenco: Douglas Booth, Heilee Steinfeld
Sinopse: Julian Fellowes, roteirista vencedor do Oscar, assina o roteiro desta versão da obra de Shakespeare.


Foi apenas um sonho (2008)
Direção: Sam Mendes
Elenco: Leonardo DiCaprio, Kate Winslet.
Sinopse: O casamento de April e Frank desabrocha quando um plano para mudar a vida "perfeita" que eles levam se torna a última esperança de deixar para trás uma vida vazia.

A Fera (2011)
Direção: Daniel Barnz
Elenco: Neil Patrick Harris, Vanessa Hudgens, Alex Pettyfer, Mary-Kate Olsen.
Sinopse: Depois de humilhar uma colega de escola, ela lança um feitiço sobre ele e o transforma numa criatura horrenda. Só o amor verdadeira poderá curá-lo, mas será possível alguém amar uma fera?
Lion: uma jornada para casa (2016)
Direção: Garth Davis
Elenco: Dev Patel, Nicole Kidman, Rooney Mara.
Sinopse: Um garoto se perde e é adotado por um casal australiano. Anos depois, ele continua decidido a reencontrar sua família.


Para sempre Alice (2014)
Direção: Richard Glatzer e Wash Westmoreland.
Elenco: Julianne Moor, Kristen Stewart, Alec Baldwin.
Sinopse: Uma professora renomada de linguística é diagnosticada com Alheimer precoce e passa a enfrentar grandes desafios na sua vida profissional e pessoal.

Direção: Vince Marcello
Elenco: Joey King, Joel Courtney, Joel Elordi.
Sinopse: o primeiro beijo de Elle se transforma num romance proibido com o cara mais gato da escola, mas acaba colocando em risco o relacionamento com seu melhor amigo.


 O Caçador de Pipas (2007)
Direção: Marc Forster
Elemco: Kalid Abdala, Shaun Toub.
Sinopse: Quando pequenos, Amir e Hassan eram amigos inseparáveis. Anos depois, Amir aceita uma missão em que arrisca tudo para.cprrigir os erros do passado.

Moby Dick (2011)
Elenco: William Hurt, Charlie Cox, Ethan Hawke.
Sinopse: O baleeiro Ahab quer caçar a cachalote branca que comeu a sua perna. Com sede de vingança ele arrisca sua vida e de sua tripulação para matar o animal, custe o que custar.

Malala (2015)
Direção: Davis Guggenhein.
Elenco: Malala Yousafzai.
Sinopse: História da menina paquistanesa que foi baleada aos 11 anos por defender a educação feminia no seu país.



Unboxing TAG - caixinha de maio | Por Mich Fraga

maio 10, 2018

Bom dia, Leitores! E a quinta-feira já começou em ritmo de leitura! (bem, pelo menos pra nossa colunista Michelle rs, porque eu ainda to entrando no ritmo da cafeína :D Mas enfim, a Mich compartilhou com a gente o UNBOXING a última caixinha da @taglivros que chegou por aqui <3 Confira o vídeo com unboxing completo dessa caixinha que está, a cada dia, mais linda! 



Aliás, Se você se interessa pela TAG e gostaria de se inscrever para receber caixinhas como esta na sua casa, entre no site (https://taglivros.com/) e cadastre-se com o código MICOGCZ3. Através deste código você ganha 35 reais para gastar como quiser dentro da loja da TAG e a Mich ganha um produto de mesmo valor para sortear para vocês. Não Perca! <3


Sobre o livro do mês:  

Tempo De Migrar Para O Norte - Tayeb Salih
Neste romance conta-se a história das viagens e visões de Mustafa Said que se encontra dividido entre dois continentes. Mustafa Said é órfão de pai e quando jovem abandona a mãe e parte para Londres onde se destaca profissionalmente. Mas a visão dos britânicos sobre o continente africano e sua própria condição de expatriado são motivos que causam revota e decepção em Mustafa.

A menina, o cofrinho e a vovó - Cora Coralina | Global Editora

abril 27, 2018

Histórias de infância, quando lidas na vida adulta, despertam uma afetuosa nostalgia. Resgatar boas lembranças de nosso passado (ainda que o ato de lembrar traga certa melancolia) pode se tornar um proveitoso exercício de autoconhecimento, especialmente quando compartilhamos estes breves (porém duradouros) episódios de nossa biografia. E quando a literatura brasileira é quem fala sobre a vida, não há como não mencionarmos uma de suas maiores protagonistas: Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, ou simplesmente Cora Coralina.

Cora é uma autora ímpar, que como poucos traduziu a simplicidade de seus dias. Em diversos contos e poesia, a autora engrandeceu a riqueza de ser mulher e mãe, camponesa e escritora, livreira e sobrevivente. Porque a vida que dói e amanhece, a escrita de Cora é como um ciclo de renovação e permanência por entre estrofes de esperança e equilíbrio.

Cora nos deixou há algumas décadas, porém, seu legado permanece, seja em reedições (como as da Global Editora) como no cuidado com que seus familiares dispensam à sua memória, inclusive a literária.

Em "A menina, o cofrinho e a vovó", Cora parte de uma experiência biográfica (a solidão e a viuvez, em uma vida que não dispensa a pausa, que exige de nós sempre um recomeço) para criar uma fábula cotidiana, dedicada ao público infanto-juvenil, onde uma senhora decide dedicar-se à produção de bolos e doces, tanto para resgatar a sabedoria que vem da casa (e de si mesma) como também uma forma possível de sustento.
Muitas são as dificuldades da Vovó nesta fábula (como poderia cozinhar, se faltavam-lhe panelas, tachos de cobre, utensílios, e até uma geladeira?); ainda assim, a força de sua memória foi suficiente para sustentar suas mãos e, a partir destas, iniciar com toda dignidade uma nova etapa em sua vida, que viria a tornar-se novamente próspera em um futuro não muito distante. Trazendo para os nossos dias, o leitor encontra em Cora uma grande sabedoria: a de que a decisão para recomeçar (qualquer que seja a nossa idade; apesar dos inúmeros contratempos) deve partir de nós mesmos, e da esperança de que a própria vida (assim como o destino) nos aproxime de pessoas solidárias, cuja empatia será uma força a mais para a realização de nossos projetos. Mas voltando à história, foi exatamente o que aconteceu com a nossa Vovó, que recebeu um inesperado presente de sua neta, cuja grandeza foi suficiente para abraçar este sonho-sobrevida, e renovar os laços de familiaridade e sangue com aqueles que nunca esquecera.


Um segundo ponto a observar nesta história é a forma com que a vida nos apresenta, de tempos em tempos, possibilidades (nem sempre tão evidentes, é berm verdade) de sairmos de um cotidiano sem perspectivas (principalmente financeiras) e viver por nossa conta, através do fruto de nosso trabalho, e com toda esta garra aceitar o desafio de empreender. Embora a mensagem de Cora esteja em fábulas e rimas, este é um desafio realmente difícil,especialmente em nosso país, mas que serve como grande lição para que encontremos em nós mesmos (e naqueles que nos acompanham pelo caminho) a força para dependermos o mínimo possível de entidades, instituições, governos, enfim, de quaisquer instâncias que nos desindividualizem. Afinal, enquanto houver força em nosso coração, físico e espírito, não há nada mais gratificante que a experiência de recomeçar e, através desse esforço, prosperar. 

Um último ensinamento é o de que a iniciativa para um novo modo de vida precisa caminhar de mãos dadas com o sonho de nossa independência, principalmente a financeira. Esta é uma lição que a pequena netinha compartilha com a sua avó, em um encontro repleto de boas lembranças e uma grande esperança: entre uma emoção e outra, a avó se preocupa com o presente recebido pela netinha (a saber, uma sacolinha com todas as suas economias), se toda esta doação não iria lhe fazer falta em sua vida. E foi através de uma doce resposta que a netinha demonstra não apenas um grande coração, mas um enorme otimismo: - Não, Vovó, se eu precisar do dinheiro, eu junto tudo novamente. 

Em um tempo onde é quase nulo o ensino da autonomia pessoal através de nosso próprio suor e do cuidado financeiro, o livro de Cora Coralina é como uma luz de bondade e otimismo a clarear nossos tão conturbados pensamentos. Que este trecho da autobiografia de Cora, ainda que ilustrada em tons de ficção, possa ser uma leitura que traga algum incentivo em nossa caminhada, e que o exemplo da pequena netinha possa ser uma inspiração para nossos filhos, e para todos os quem cuidamos. Por uma vida com mais afeto e iniciativa, e com menos dependência de tudo o que nos puxa pra baixo e nos faz desviar do caminho :)

Obrigada Global Editora por reeditar mais esta belíssima história!



"Nada não. O doce se fazia. O freguês comprava, mandava novos fregueses. Então a velha ganhou dinheiro. Comprou tacho, tachos. Todo tamanho, sempre o cobre antigo, velho. Asa de bronze. (...) Nem usa tantos. Simbolismo. (...) Deixará para quando morrer, para filhas, netas e bisnetas. Símbolos vivos do seu trabalho produtivo. Ensinamento. Lição. Lição de vida. Sempre proveitosa."


A menina, o cofrinho e a vovó - Uma menina e sua avó. Mesmo distantes, que tesouros elas trocam? Nesta história, Cora Coralina conta como uma avó trabalhadeira recebeu um presente simples e generoso da neta. Um presente que ajudou a avó a realizar seu sonho. E, como entre avós e netos a moeda de troca é variada, como será que a avó agradeceu?

Sobre a autora: Cora Coralina é o pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto (1889-1985). Nasceu na cidade de Goiás, antiga Villa Boa de Goyaz. Filha de Francisco de Paula Lins dos Guimarães Peixoto, desembargador nomeado por D. Pedro II, e de Jacinta Luísa do Couto Brandão. Foi criada às margens do rio Vermelho, em casa comprada por sua família no século XIX, quando seu avô ainda era uma criança. Estima-se que essa casa foi construída em meados do século XVIII, sendo uma das primeiras construções da antiga Vila Boa de Goiás. Aos 15 anos de idade, Ana vira Cora, derivativo de coração. Coralina veio depois, como uma soma de sonoridade e tradução literária.

Poeta e contista brasileira de prestígio, tornou-se um dos marcos da literatura brasileira. Cora Coralina iniciou sua carreira literária aos 14 anos com o conto “Tragédia na Roça” publicado no “Anuário Histórico e Geográfico do Estado de Goiás”.

Casou-se com o advogado Cantídio Tolentino de Figueiredo Brêtas e teve seis filhos. O casamento a afastou de Goiás por 45 anos. Ao voltar às suas origens, viúva, Cora Coralina iniciou uma nova atividade, a de doceira (conheça a obra Doceira e Poeta). Além de fazer seus doces, nas horas vagas ou entre panelas e fogão, Aninha, como também era chamada, escreveu a maioria de seus versos.

Publicou o seu primeiro livro aos 76 anos de idade e despontou na literatura brasileira como uma de suas maiores expressões na poesia moderna. Em 1982 – mesmo tendo estudado somente até o equivalente ao 2º ano do Ensino Fundamental – Cora Coralina recebeu o título de doutora Honoris Causa pela Universidade Federal de Goiás e o Prêmio Intelectual do Ano, sendo, então, a primeira mulher a receber o troféu Juca Pato. No ano seguinte foi reconhecida como Símbolo Brasileiro do Ano Internacional da Mulher Trabalhadora pela FAO. Morreu em Goiânia, aos 95 anos, em 1985.
A Global Editora publica as obras de Cora Coralina com exclusividade e, em seu blog, disponibiliza diversas entrevistas, depoimentos e resenhas sobre a autora e suas obras.

Concurso Literário Editora InVerso - Inscrições até 18 de abril

abril 18, 2018



Se você ama literatura e está no ensino fundamental e médio, participe do Concurso Literário promovido pela Editora InVerso! Confira o regulamento:

SOBRE: A Editora InVerso promove o Concurso InVerso de Ficção Histórica Brasileira 2018, que objetiva publicar uma antologia com 14 contos ou crônicas de ficção histórica brasileira, escrito por 14 jovens estudantes de 14 a 18 anos de todo o Brasil e residentes no exterior.

A criação deste Concurso deseja instigar crianças e adolescentes a conhecer mais sobre as decisões históricas do país, tendo em vista que 2018 é um ano eleitoral e que decisões importantes de conhecer e escolher quem serão os líderes (eleitos ou não) e como eles poderão mudar o país. Envolve também o estímulo da criatividade sobre decisões políticas tomadas no passado e de projeções futuras de governanças nos âmbitos, municipal, estadual, regional e nacional.

INSCRIÇÕES: O candidato deverá enviar um CONTO ou CRÔNICA INÉDITA, ou seja, que o conteúdo nunca tenha sido publicado, com até 8.400 caracteres para a Editora InVerso de 18 de fevereiro à 10 de abril.

Os vencedores terão suas obras publicadas em um livro de antologias, com direito a 5 livros.
 
Visite a página do Concurso e acesse o regulamento completo: 

Lady Whistledown contra-ataca - Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch | Editora Arqueiro

abril 13, 2018

"O evento mais cobiçado desta semana parece ser o iminente jantar de Lady Neeley, a ser realizado na noite de terça-feira. A lista de convidados não é longa, mas também não é notavelmente exclusiva, e, dadas as histórias que se espalharam sobre o jantar do ano passado, ou para ser mais específica, sobre o cardápio, todos os londrinos (em especial aqueles de maior circunferência) estão ansiosos para participar.

Esta autora não foi agraciada com um convite, portante deve padecer em casa com uma jarra de vinho, um pão e esta coluna, mas não sinta pena, querida leitora. Ao contrário daqueles que comparecerão ao iminente espetáculo gustativo, esta autora não precisa ouvir Lady Neeley!"

Tudo começa (e nem sempre termina) em um jantar ou um baile. Do cortejo dos salões ao beijo roubado por entre os corredores, tudo pode acontecer em uma cerimônia repleta de cordialidades e segredos e que reúne alguns dos personagens mais distintos (bem, alguns nem tanto) de sua época. Lady Neeley, por exemplo, é uma anfitriã cujas deslumbrantes festas tornam-se o assunto do ano em terras inglesas. Estar em uma lista de convidados da senhora Neeley era quase que uma validação de sua participação na sociedade - embora há suspeitas de que alguns convidados estavam em seus eventos apenas para protagonizar fofocas e constrangimentos, como por exemplo, no dia do episódio da pulseira roubada, que levantou infindáveis discussões e suspeitas entre os participantes. De qualquer modo, todo jantar ou baile era de fato um grande acontecimento, e a ansiedade de conhecer e ser visto era uma das maiores diversões da sociedade vitoriana dos séculos que nos antecederam.

Em Lady Whistledown Contra-ataca, as autoras autoras Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch partem deste episódio do desaparecimento do bracelete de Lady Neeley em um de seus jantares sociais e, através de personagens e pontos de vista distintos, convida o leitor a enxergar diversos lados deste episódio (e claro, descobrir o que realmente aconteceu com o tal bracelete rs) e conhecer um pouco do cotidiano e costumes vitorianos através dos (complicados) relacionamentos que, de algum modo, foram possíveis através desta cerimônia realizada por Lady Neeley.


"- Você tem permissão para vir me visitar.
O coração dele deu um pulo.
- Tenho? Então o que...
- Com algumas regras.
(...) Ele sorriu devagar, incapaz de resistir a passar um dedo ao longo da face dela.
- Você é um desafio. (...) Eu olhei para você duas vezes e vi o que você é.
A cor começou a tingir as faces de Charlotte.
- E o que eu sou?
- Minha.
- Xavier...
(...) Ele podia sentir a pulsação dela sob seus dedos, firme e acelerada. Isso o encorajava."

Outra parte curiosa de cada uma das quatro histórias é a narração onipresente de Lady Whistledown, personagem que atuava em um folhetim londrino como cronista social (ou melhor, como "criadora de tretas da sociedade londrina" rs) e, através de seus afiados comentários, despertava grande rancor e desafetos (e, eventualmente, um cortejo decisivo) entre seus leitores. Embora interligadas, as histórias de Quinn, Ryan, Hawkins e Enoch têm sua autonomia, pois se dedicam ao desenvolvimento dos relacionamentos (amorosos) que surgiram neste ambiente social e que não escaparam aos olhares de Lady Neeley e muito menos de nossa afiada colunista senhora Whistledown.

Se você tem interesse por um romance de época mais "festivo" (isto é, sem maiores muitos dramas) e com diversas cenas de recusa e cortejo (e claro, com aquele hot suave característico), Lady Whistledown contra-ataca será uma boa leitura pra você! Ainda mais agora que a Arqueiro lançou Nada escapa a lady Whistledown, que já chega às livraria com toda aquela expectativa de "treta" que a gente tanto quer ler! :) rs


Lady Whistledown contra-ataca 

Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown contra-ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável.

Quem roubou o bracelete de lady Neeley?

Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
(Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816)

Julia Quinn encanta...
Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela.

Mia Ryan delicia...
Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.

Suzanne Enoch fascina...
Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.

Karen Hawkins seduz...
Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.


Nada escapa a Lady Whistledown

Em Nada escapa a lady Whistledown, a cronista eternizada por Julia Quinn continua a revelar os acontecimentos mais apimentados da temporada londrina. Suas colunas são o fio condutor das quatro histórias que formam esta encantadora e divertida coletânea.

Há tanto a ser dito sobre o baile oferecido por lady Trowbridge, em Hampstead, que esta autora não teria como contar tudo em só uma coluna...

Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1813

Julia Quinn encanta...
A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente... apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis.

Suzanne Enoch fascina...
Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas.

Karen Hawkins seduz...
Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro.

Mia Ryan delicia...
Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.