segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Simplesmente Acontece, de Cecelia Ahern | Editora Novo Conceito | Resenha por Gih Medeiros


Um(a) autor(a) me ganha quando constrói uma história que faz sentido, e que me transporta para aquele universo que ele criou/imaginou. Esse(a) autor(a), me ganha definitivamente quando consegue fazer isso de uma forma diferente, inusitada e inesperada. É o caso de Cecelia Ahern em Simplesmente Acontece

Confesso que não havia lido nada da autora, mas conhecia seu nome devido à adaptação cinematográfica de P.S. Eu te Amo, filme que pegou muita gente desprevenida e despertou lágrimas, risos, ódio e amor pela autora no mundo todo.

Não tenho uma justificativa plausível para ter adiado a leitura de alguma obra da Cecelia, é o tipo de coisa que acontece, sabe, você pensa em adquirir um livro e coloca na wishlist mas, quando acessa os sites para comprar, acaba adquirindo outros títulos que nem sonhava em ler. Coisa de leitor, eu sei que vocês entendem – risos.

Mas, no ano passado, ganhei Simplesmente Acontece de presente de aniversário de uma amiga querida, e a expectativa dela pela minha opinião sobre o livro me fez colocá-lo no topo da lista de leitura. Na época, cheguei a falar sobre ele no meu antigo blog, mas achei que vocês que acompanham o Blog Papel Papel mereciam um vislumbre de uma obra que em minha opinião conseguiu definitivamente me surpreender.

O livro fala sobre a jornada de Alex e Rosie, irlandeses amigos desde crianças que compartilharam todos os momentos de infância e adolescência até se formarem no ensino médio, quando a família de Alex vai para os EUA para que ele possa estudar Medicina e Rosie permanece na Irlanda devido a um incidente que mudaria totalmente sua vida e adiaria seus sonhos por muitos e muitos anos.

Ao longo de 50 anos eles utilizam diversos meios para se comunicarem e apesar da distância e relacionamentos que surgem em suas vidas, conseguem manter a amizade entre eles quase intacta. Cecelia nos surpreende na maneira como nos entrega essa relação entre duas pessoas que se amam, mas não sabem como podem ficar juntas. A história desses dois é toda contada através de e-mails, mensagens, cartões, cartas e sms, em ordem cronológica, mas de maneira tão intimista que não percebemos que não se trata de uma narrativa convencional. Os personagens são tão verdadeiros e reais que parece que estão falando conosco o tempo todo.

Através desse arsenal de correspondência, conseguimos conhecer também as pessoas mais próximas a eles e como eles lidaram com a distância e os acontecimentos que moldaram suas vidas:

- Ruby é a melhor amiga que alguém poderia querer, ela é sincera e divertida e está sempre ao lado da Rosie.

- Philip é o irmão mais velho do Alex, que te trata como um paizão debochado.

- Stephanie é uma querida, sempre muito fofa em seus e-mails, apoiando a irmã Rosie e a família sempre.

- Alex, tão fofo e tão carinhoso. Sua bondade parece infinita. Ele aguenta os humores da Rosie e de todas as mulheres que o cercam com muita boa vontade. Sua paciência e dedicação são marcantes.

- Rosie, tão desastrada e tão humana!!! Algumas de suas cartas são tão vívidas que nos faz sentir o que ela sentia no momento. E apesar da vida ter sido muito dura com ela, Rosie nunca deixou de sonhar até conseguir tudo o que sempre desejou.

Nesse momento, relembrando a história desses dois, é inevitável não pensar no grande clichê que é a vida real, onde existe o momento e a hora certa para tudo, mesmo que a gente às vezes tente barganhar com o destino e aplicar nossas próprias regras, fazendo com que tudo ao nosso redor fique mais complicado do que já é.

O livro é encantador, não só pela maneira original como é escrito, mas também por seus personagens que são muito reais, e essa é uma história que poderia acontecer com qualquer um de nós. Quem sabe não acontece?


Simplesmente acontece
Cecelia Ahern

Sinopse: O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas?

Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos.

Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de e-mails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.
Be First to Post Comment !
Postar um comentário

Custom Post Signature