quarta-feira, 23 de março de 2016

[Resenha] Jonatas e uma leitura de Peter Pan



O tempo segura minhas mãos



"Peter Pan é uma dádiva"
Mark Twain


Se você me perguntasse sobre o dia em que conheci Peter, eu não seria capaz de responder de maneira alguma. Não me lembro da época em que não o conhecia. Era como se ele estivesse escrito na única história que sabemos ao nascermos. E não diria nada, mesmo se voltássemos muito muito no tempo, para as vagas memórias de quando mamãe me embalava no colo para dormir enquanto cantava, na época que eu não tinha idade.

Tenho certeza de que ela nunca me contou a história do menino que atravessava a janela a procura de sua sombra que fora arrancada com uma mordida pela babá, e que terminou acordando a menina Wendy e seus dois irmãos para brincar na Terra do Nunca. Tampouco assistira ao filme da Disney ou a alguma daquelas adaptações mais baratas que meu pai costumava comprar em VHS. Por isso, pode ficar sentada esperando, eu jamais direi sobre o dia em que o conheci.


Zahar
J. M. Barrie,  Peter Pan: edição comentada e ilustrada. Clássicos Zahar 


Ontem à noite, ao concluir a última linha daquela história literalmente infinita, percebi que um tal de J. M. Barrie sabia de algo com tamanho, peso e cor sobre Peter que eu sabia na época do colo de mamãe. Todavia, aquele não era um Barrie como o nome do autor que está na capa do livro, mas um Barrie que tinha um irmão que nunca crescera chamado David, um Barrie que nunca conheceremos por se ter perdido nas obras de pirata que sua mãe lia quando criança. Esse nosso Barrie desenterrou um segredo de um lugar mais profundo que a Lagoa das Sereias o sorriso de cada alegre, inocente e desalmada criança que ele conheceu. A princípio também achei estranho a coisa de desalmada, mas é por isso que é um segredo e eu não vou explicar. Você terá enfrentar por sua conta as balas de canhão atiradas pelos piratas, e guerrear contra os índios picaninny para garantir que eles te respeitem, porque o Peter do livro também é diferente do Peter que toda criança conhece. O Peter do livro não passa de uma janela aberta, igual a que sr. Darling esquecia durante à noite, e terá que passar sem medo por ela. Mas eu garanto a você que gosta de leituras mágicas e histórias fantásticas: irá adorar. E se não gostar, Peter mandou dizer que é porque você é um adulto-boboca-idiota-comedor-de-meleca que esqueceu de não crescer mais.

De especial sobre a minha própria experiência por lá, conto que durante a última luta com os piratas podia jurar que avistei uma coisa bastante inusitada. Acho que por tanto ler as aventuras de Tom e Huckleberry Finn, os vi combatendo bravamente ao lado dos Meninos Perdidos e Peter no navio. A cada golpe cortavam com suas espadas de aço a carne do inimigo e abatiam um a um na proa. Depois chutavam os vilões para se perderem no mar. Quando olhei para baixo, também vi o crocodilo abocanhando cada marujo malvado, sem fazer nenhum ruído com o relógio no estômago. Para nós que não tínhamos idade e flutuávamos sobre um Mississipi das fadas a matar piratas, o tempo não passava de uma brincadeira. 



9 comentários on "[Resenha] Jonatas e uma leitura de Peter Pan"
  1. Deus, que resenha lindaaaaaaaaaaaa! Li rindo e sorrindo e me identificando e me vendo uma criança sem idade ouvindo minha mãe me contar as velhas histórias mais antigas que o tempo... sobre meninas perdidas em florestas, lobos e garotos com feijões mágicos e Sindbad... e Peter Pan o meu Peter... Preciso ler esse livro, tenho ele em minha estante, uma edição diferente da sua, mais muito linda, com cara de infância, grandes ilustrações que eu estou guardando para um dia especial... Que talvez seja essa pascoa enquanto como os ovos de chocolate que eu faço questão de comprar porque a criança em mim adora.

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pandora. Que ótima notícia ter apreciado minha resenha. Confesso que senti um peso enorme e fiquei preocupado na medida da grandeza de Peter Pan. Para mim é a conquista máxima que saber que alguém voltou a ser criança através de um sorriso. Fico muito muito feliz que algo que senti fez alguém sorrir. E quando terminar de ler Peter Pan, quero que me conte para me devolver o sorriso.

      http://jonatastbblog.blogspot.com.br/

      J.

      Excluir
  2. Feliz em ver que os amigos estão apreciando o trabalho do Jonatas aqui no Blog <3 Obrigada pelo apoio, pessoal! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu serei eternamente grato pela oportunidade de me meter num espacinho do seu Blog rsrs

      :P

      Excluir
  3. Jonatas Querido, muito bom!
    Escrita ótima, resenha linda.
    Eu conheço a história do Peter Pan, li quando era muito novinho, num livro de história que tinha edição linda e já não se encontra - não sei nem descrever como era o material (rs.).
    Lembro que eu gostava, mas preciso ler novamente.

    Abraço.
    Diego, Blog Vida & Letras
    http://blogvidaeletras.blogspot.com.br/2016/03/o-gigante-enterrado-kazuo-ishiguro.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato pelo reconhecimento e muito feliz que tenhamos nos resgatado a memória tão sutil através desse encontro no texto. Quando reler não se esqueça de contar suas aventuras pelo Nuca!
      Forte abraço!

      J.

      http://jonatastbblog.blogspot.com.br/

      Excluir
  4. Thalita, este livro está na lista dos que mudaram muito minhas impressões sobre a vida. Vale a pena ler e reler. Grato pelo elogio e espero te encontrar sempre aqui, pois és muito bem vida!

    Bj!

    J.

    ResponderExcluir

Custom Post Signature