Recebidos de Fevereiro - Editora Martin Claret | Por Gih Medeiros

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017
 
Recebidos – Martin Claret

Uma das coisas que sempre tive em mente é: quando você faz algo com paixão verdadeira, sempre colhe bons frutos, porque o que desenvolve é despretensioso, desinteressado. E assim tem sido desde que adentrei o mundo literário e resolvi compartilhar essa minha paixão pela literatura, independente de gênero e estilo (mesmo que a Rebeca implique comigo e diga que eu só leio romances rs – como vocês veem pelas resenhas compartilhadas aqui, isso não é verdade... Mas eu estou desviando do assunto principal, desculpem o déficit de atenção!!!).

Essa aventura pela blogosfera literária me trouxe muitos frutos bons, entre eles, amigos incríveis que eu dificilmente teria a oportunidade de conhecer pessoalmente devido à distância geográfica, e juntos temos construído todo um trabalho que nos gera acima de tudo o prazer da leitura. A Rebeca generosamente me recebeu no seu blog e abriu espaço para que eu compartilhasse essa parte de mim que no meu dia a dia não tem muito espaço, e eu sou muito grata por isso.

Nesse um ano caminhando juntas aqui no Blog Papel Papel, nós batalhamos para ter o reconhecimento não apenas visual do Blog (que é incrível, vamos admitir! Todas as honras nesse quesito vão para a Reb, que é quem cuida do layout e administra o Blog), mas também pela qualidade de nossa escrita (sem nenhum tipo de arrogância ou pretensão, mas valorizamos um texto coerente e com coesão gramatical – e, ainda assim, alguns errinhos nos escapam, acontece né?), e acreditamos que conseguimos diversas parcerias com blogueiros, autores e editoras graças a tudo isso.


A parceria mais recente (e também muito celebrada por nós) foi com a Editora Martin Claret, fundada em São Paulo no início da década de 1970 pelo empresário, editor e jornalista gaúcho Martin Claret. A Editora é conhecida por seu catálogo repleto de clássicos da literatura mundial, da qual eu admito que sou muito fã, especialmente pelo conteúdo, qualidade e (porque não?) beleza das edições, o que torna o ato de ler ainda mais prazeroso, afinal, quem não quer ter em mãos um livro tão bonito quanto esses que eu recebi essa semana? <3

Chegaram por aqui: Peter Pan, de J. M. Barrie, um clássico da literatura infanto-juvenil, e De Paulicéia Desvairada a Lira Paulistana, de Mário de Andrade, obra de vanguarda do movimento modernista no país.

A Missão da Martin Claret é conscientizar e motivar as pessoas a desenvolver e utilizar o seu pleno potencial espiritual, mental, emocional e social, empenhando-se em contribuir para a difusão da educação e da cultura, por meio da democratização do livro, usando todos os canais ortodoxos e heterodoxos de comercialização. A Martin Claret, em sua missão empresarial, acredita na verdadeira função do livro: o livro muda as pessoas. A Editora Martin Claret, em sua vocação educacional, deseja, por meio do livro, otimizar e iluminar a vida das pessoas.

Nós também acreditamos nisso e por isso estamos tão felizes com essa parceria!!! Agradecemos à Martin Claret pela confiança <3 E bem vindos ao mundo Papel Papel!!!


Peter Pan - Sinopse: Publicado em formato de livro por J. M. Barrie em 1911, "Peter Pan" retrata o encontro do menino que não queria crescer com os três filhos da família Darling. Os quatro embarcam em uma aventura inesquecível que começa no céu de Londres e os leva à Terra do Nunca. Ali, encontrarão outros personagens icônicos, como o Capitão Gancho, o crocodilo, as sereias e os índios. A obra continua sendo um sucesso entre todos os públicos, com sua temática nostálgica e divertida. Esta edição possui ilustrações e um apêndice especial.

De Paulicéia Desvairada a Lira Paulistana - Sinopse: Neste volume reúnem-se diversas obras em verso que marcaram a carreira de Mário de Andrade, entre elas "Pauliceia desvairada", "Losango Cáqui", "Clã do Jabuti", "Remate de males", "O carro da miséria", "A costela do grã cão", "Livro azul", "Café" e "Lira paulistana". Uma edição imperdível que permite-nos compreender melhor a concepção dos modernistas brasileiros.
Post Comment
Postar um comentário

Auto Post Signature