Under Western Eyes (Sob os olhos do Ocidente) - Joseph Conrad | Texto por Bruno Fraga

by - 06:14:00


"Being nobody's child he feels rather more keenly than another would that he is a Russian - or he is nothing" (Nota do Autor) 

Um livro que poderia facilmente ser apresentado como baseado em fatos reais, não só pela pontualidade em retratar a política russa do início do Século XX, mas também pela fidelidade em descrever as batalhas psicológicas e emocionais que podemos viver. Assim é a escrita de Joseph Conrad, em Under Western Eyes, publicado no Brasil em 1984 pela Editora Brasiliense.

Entre a opressão do governo czarista e a estupidez dos revolucionários, está o povo russo. Neste cenário conturbado, está Razumov, um jovem órfão, estudante da universidade de São Petersburgo, que sobrevive graças a uma modesta ajuda financeira de um misterioso aristocrata. 

Tanto nos dias de hoje como no início do século, sempre foi notória a capacidade de fomentação de ideias subversivas nas universidades. Razumov internamente as despreza, no entanto. Devido a sua inteligência, era visto com imenso potencial por alunos ligados a causa revolucionária. Certo dia, ao chegar em casa, o jovem depara-se com um dos mais radicais progressistas da universidade sentado em sua cama: Victor Haldin, que acabara de cometer um fatal atentado terrorista, envolvendo assim Razumov, para sempre, em todo o movimento revolucionário russo. 

Logo descobrimos que esta história está sendo narrada em Genebra, na Suíça, por um professor de inglês, (que também um espectador privilegiado de reuniões com exilados russos, e com acesso a antigos documentos e diários, inclusive do jovem órfão), claramente com dificuldades de entender o povo e a política daquele país devido a perspectiva de seus "olhos ocidentais". 

Victor Haldin, vivo ou morto, torna-se um fantasma íntimo para Razumov. As questões que aparecem em sua mente e o indesejado envolvimento com as insurgentes forças rebeldes foram suficientes para destruir não só suas aspirações, descartar seu árduo trabalho, mas também para trucidar seu sono, sua paz. 

Por trás do emaranhado de elos apresentados na trama, Mikulin, chefe do Departamento do Secretariado-Geral, condiz com sua fama de saber utilizar pessoas para alcançar seus objetivos, e tem em Razumov uma inesperada chance para seu êxito pessoal e profissional. Uma interpretação a somar-se sobre a história do jovem estudante após a leitura é de que se algo dentro de você te aprisiona, nem toda liberdade do mundo, e nem a mais democrática das nações poderá te libertar. 

Joseph Conrad, com a mesma qualidade que descreve a natureza opressiva do desconhecido na África em Heart of Darkness (publicado no Brasil pela Hedra e Companhia das Letras), e minúcia ao escrever acerca do conturbado jogo de poder latino-americano em Nostromo (publicado em 1991, também pela Companhia das Letras), vai além em Under Western Eyes, pois não só é magistral ao retratar a tensão política vivida na Rússia naquele tempo, como também consegue transpor para o papel os intensos devaneios de seu personagem principal, diretamente nos remetendo a Dostoievski e outros gênios russos, independente do suposto desprezo que Conrad sentia por esses escritores.

"As palavras, como todos sabem, são as grandes inimigas da realidade (…); chega uma época em que o mundo é apenas um lugar de muitas palavras, e o homem parece um simples animal falante, não muito mais digno de admiração que um papagaio."

("Words, as is well known, are the great foes of reality (…); there comes a time when the world is but a place of many words and man appears a mere talking animal not much more wonderful than a parrot.")


You May Also Like

0 comentários

Visitas